Você está aqui: Página Inicial / CCHB

História

UFSCar, campus Sorocaba: um pouco de nossa breve história

No momento em que o Governo Federal sinalizou a possibilidade de expansão do Ensino Superior Público, Sorocaba, a partir de estudos previamente realizados por diferentes órgãos públicos e privados, apresentava-se como um município com alto índice de privatização do Ensino Superior quando comparada a outras cidades do país com o mesmo porte populacional e relevância econômica.

Deste modo, com as oportunidades abertas pelo Governo Federal, na gestão do Presidente Luís Inácio Lula da Silva, baseada na expansão dos investimentos em Educação Superior, e por uma demanda antiga da região de Sorocaba datada, pelo menos, da década de 1990 pelo entendimento da UFSCar sobre a importância de se oferecer educação pública, gratuita e de qualidade a essa região, em 2006, foi implantado o campus da UFSCar, em Sorocaba, iniciando suas atividades didáticas nas dependências da Faculdade de Engenharia de Sorocaba (FACENS), até que obras do novo campus fossem concluídas.

Em 2008, todas as atividades desse novo campus foram transferidas para o seu próprio espaço físico. Tal transferência permitiu não apenas a maior visibilidade e inserção da UFSCar no município e região, como também permitiu o seu rápido crescimento a partir do Programa do Governo Federal de Apoio aos Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais Brasileiras (REUNI), que possibilitou o cumprimento das Diretrizes Gerais de ampliação dos cursos da UFSCar estabelecidos em seu PDI de 2004.

Assim, em apenas sete anos, a UFSCar passou a oferecer à população da região, em seu campus de Sorocaba, 15 cursos de graduação, oito Programas de Pós-Graduação strictu sensu e um mestrado profissional. Essa rápida expansão não estava prevista na proposta inicial do campus Sorocaba que contava apenas com sete cursos de graduação. No entanto, em menos de quatro anos esse campus da UFSCar teve seus cursos de graduação aumentados em mais de 100%. Essa expansão tão rápida e substancial deveu-se à decisão e ao compromisso da UFSCar com a ampliação de vagas para o ensino superior público, gratuito e de qualidade e pelo esforço dos docentes até então presentes no campus de Sorocaba que aceitaram o desafio de propor novos cursos em um campus recém-criado e recém-instalado em seu próprio espaço físico.

Quando da proposta do campus de Sorocaba, imaginou-se que esse poderia constituir-se por uma estrutura administrativa provisória própria. Seria implantado um novo Centro da UFSCar que se organizaria, em um primeiro momento, sem o conceito de Departamentos, algo inovador e ousado, com a possibilidade de discussão posterior quando da chegada dos novos docentes à UFSCar/Sorocaba. Nessa proposta inicial o novo Centro, o CCTS, seria articulado em torno de um objeto comum, que perpassaria as atividades de ensino, pesquisa e extensão em uma atuação transdisciplinar para os sete cursos previstos, a saber: Licenciatura em Ciências Biológicas e Bacharelado em Ciências Biológicas, Bacharelado em Turismo e Engenharia de Produção, iniciados em 2006; Engenharia Florestal iniciado em 2007 e Ciências da Computação e Ciências Econômicas com início em 2008.

Este projeto inicial do campus Sorocaba, porém, foi sendo reconfigurado em função da célere expansão do campus, que passou de sete para 15 cursos de graduação, bem como pelo desejo, manifesto pela comunidade local, de iniciar um processo de discussão sobre a departamentalização. A comunidade manifestou-se favoravelmente a esse processo, por entender que integrar-se plenamente à estrutura organizacional da UFSCar permitiria um desenvolvimento mais adequado e equilibrado das atividades de ensino, de pesquisa e de extensão, bem como de nossa participação e representação nas instâncias colegiadas da UFSCar. Tal proposta foi prontamente aceita pelo Conselho Universitário.

No segundo semestre de 2011, foi instituído, na prática, o Conselho do Centro de Ciências e Tecnologias para Sustentabilidade, em substituição ao Conselho de Campus, anteriormente integrado apenas pelos coordenadores de cursos, discentes e técnicos administrativos.

Findado esse processo de amplo crescimento para o atendimento das demandas de Sorocaba e região iniciou-se um novo período de discussão sobre a estrutura organizacional a partir da criação dos departamentos. Assim, no ano de 2010 foi encaminhada ao ConsUni uma proposta que previa a criação de nove departamentos, a saber:

  1. Administração - DAdm
  2. Biologia - DBio
  3. Ciências Ambientais - DCA
  4. Ciências Humanas e Educação - DCHE
  5. Computação - DComp
  6. Economia - DEco
  7. Engenharia de Produção de Sorocaba - DEPS
  8. Física, Química e Matemática - DFQM
  9. Geografia, Turismo e Humanidades - DGTH

Naquela oportunidade foram criados oito dos nove departamentos que iniciaram formalmente suas atividades em 2011, sendo o último departamento instituído em 2013.

 

CCHB: breve histórico de implantação do novo Centro

Decorridos um pouco mais de um ano do processo de Departamentalização houve a necessidade de se avaliar a dinâmica de funcionamento, avanços e desafios, além de discussões sobre o zoneamento do espaço físico.

Por deliberação unânime do Conselho do Centro de Ciências e Tecnologias para Sustentabilidade (CoCCTS), em reunião realizada no dia 21/11/2012, decidiu-se criar uma Comissão Assessora de Avaliação do Processo de Departamentalização. Dentre suas atribuições previa-se: um estudo do processo de departamentalização, funcionamento e procedimentos das verbas institucionais e de extensão; levantamento das possíveis barreiras para o bom funcionamento dos departamentos, sobretudo quanto ao quantitativo de funcionários e infra-estrutura; alocação espacial dos departamentos, novos cursos e novos centros acadêmicos.

Deste modo, algumas unidades do CCTS, desde novembro de 2012, iniciaram as discussões sobre a possibilidade, a pertinência e a necessidade de se propor um novo centro para a UFSCar em Sorocaba.

É neste processo que se torna possível a criação do Centro de Ciências Humanas e Biológicas – CCHB.

Algumas reuniões ocorreram como essa Comissão, inclusive com a presença de representantes da SPDI (Secretaria Geral de Planejamento e Desenvolvimento Institucional), bem como dos pró-reitores de Administração e também o pró-reitor de Gestão de Pessoas.

Esclarecidas todas as dúvidas existentes até aquele momento, deu-se início a construção da proposta que segue cujos pontos de partida para sua elaboração foram o Estatuto e o Regimento Geral da UFSCar.

Os Centros, explicitados no Regimento Geral (Art. 9º), serão constituídos por Departamentos, Coordenações de Cursos de Graduação, Coordenações de Programas de Pós-Graduação e, eventualmente, por Unidades Multidisciplinares que compreendam atividades de ensino, pesquisa e extensão relacionadas às áreas do conhecimento abarcadas por eles. Com base nessa diretriz, considerou-se que as realidades das unidades do campus Sorocaba permitiriam a abertura de novos centros acadêmicos, em função da diversidade de áreas do conhecimento que constituíam o campus. Considerou-se que mesmo sendo um aspecto positivo na abordagem acadêmica, do ponto de vista administrativo essas diferenças ocasionavam situações de desconformidade na discussão sobre recursos, bolsas e espaço físico para pesquisas.

No sentido de reduzir a heterogeneidade DGTH (Departamento de Geografia, Turismo e Humanidades), DCHE (Departamento de Ciências Humanas e Educação) e DBio (Departamento de Biologia), departamentos que percebem e sentem essa necessidade de maneira urgente, passaram a estabelecer um diálogo para a identificação de possíveis similaridades entre as áreas de Ciências Humanas e Biológicas.

Essa organização é a possível na atual conjuntura do campus Sorocaba e atenderia as diversas demandas existentes, até que haja condições de se compor um Centro de Ciências Humanas e um Centro de Ciências Biológicas, de modo independente e orgânico.

Este novo Centro, portanto, foi aprovado no dia 13/12/2013 pelo Conselho Universitário da UFSCar e teve suas atividades iniciadas em março de 2014 com a primeira eleição para a Direção do CCHB realizada em abril do mesmo ano.

O CCHB é composto pelas seguintes unidades:

  • Departamento de Geografia, Turismo e Humanidades (DGTH)
  • Departamento de Ciências Biológicas (DBio)
  • Departamento de Ciências Humanas e Educação (DCHE)
  • Bacharelado em Ciências Biológicas (integral)
  • Bacharelado em Turismo (integral)
  • Licenciatura em Ciências Biológicas (integral)
  • Licenciatura em Ciências Biológicas (noturno)
  • Licenciatura em Geografia (noturno)
  • Licenciatura em Pedagogia (noturno)
  • Pós-graduação em Educação (mestrado)
  • Pós-graduação em Geografia (mestrado)

Informações adicionais sobre as atividades de ensino, pesquisa e extensão de cada uma destas unidades podem ser obtidas com consultas neste site.

Atualmente UFSCar, campus Sorocaba, conta com a presença de três Centros, além da Direção do campus Sorocaba da UFSCar.

Diante do histórico apresentado, torna-se claro que o Campus Sorocaba da UFSCar, vem, assim, participando, adquirindo e construindo uma identidade regional, a partir dessa interação com a comunidade e municípios por parte de servidores docentes e técnico-administrativos e estudantes de graduação e pós-graduação.

 

CCHB: breve histórico da infraestrutura física

Como mencionado anteriormente, o campus Sorocaba foi inicialmente planejado para abrigar uma estrutura administrativa enxuta, organizada em um único centro e pautada nos princípios de multidisciplinaridade, sustentabilidade e integração entre as áreas do conhecimento.  Nesse primeiro momento de criação do campus, toda a infraestrutura física foi planejada de acordo com a lógica de organização dos cursos de graduação. Além dos prédios dos escritórios administrativos (GAd), Restaurante Universitário e Biblioteca Setorial, a infraestrutura acadêmica inicial incluía um prédio de sala de docentes e secretarias de cursos (GAc), um prédio de sala de aulas (AT-1) e um prédio de laboratórios (Lab-1). Os recursos do REUNI e de outros editais e verbas subsequentes proporcionaram o aumento significativo da infraestrutura física do campus. Foi construído um prédio que inclui salas de aulas e laboratórios (ATLab), mais um prédio de salas de aulas (AT-2), e dois prédios idênticos com salas para docentes e salas para pós-graduação (PG-1 e PG-2). Essa expansão foi ainda pautada nos princípios de multidisciplinaridade e integração entre as áreas.

Com a nova realidade de implantação dos departamentos em 2011, seguida da criação de mais dois centros acadêmicos, CCHB em 2013 e CCGT em 2014, houve a necessidade de rediscussão de todos os espaços do campus, sobretudo os destinados às atividades acadêmicas (GAc, AT-1, Lab-1, ATLab, AT-2, PG-1 e PG-2). Motivada pela criação do CCHB, no início de 2014 foi instituído um grupo de trabalho que objetivava inicialmente mapear e documentar a ocupação dos prédios GAc, AT-1, Lab-1, ATLab, AT-2, PG-1 e PG-2 e posteriormente separar esses espaços entre os três centros acadêmicos e o departamento de ensino de graduação. Esse grupo de trabalho foi constituído pelo pró-reitor de gestão de pessoas, pelos diretores dos centros, pela chefe do Departamento de Ensino de Graduação e pelo prefeito do campus. Após um ano de reuniões semanais, o grupo chegou a uma proposta de reorganização dos espaços físicos que foi posteriormente aprovada nos conselhos dos três centros. O relatório descritivo desse grupo de trabalho, bem como as atas de aprovação da proposta de redistribuição dos espaços nos conselhos dos centros, pode ser acessado aqui .

Com essa nova organização, a estrutura administrativa do CCHB e as salas dos docentes estão majoritariamente alocadas nos antigos prédios GAc e AT-1. O prédio AT-1 está atualmente em reforma para abrigar a direção do CCHB, o DBio e a pós-graduação em Educação. O DCHE e o DGTH estão alocados no GAc. A infraestrutura de laboratórios ainda está distribuída em diferentes prédios.